Startups

Startup anuncia joint-venture para comercialização de modelos realísticos para treinamento cirúrgico

A companhia norte-americana Syndaver Labs, única fabricante no mundo de modelos sintéticos realísticos para aulas de anatomia, e a startup brasileira Csanmek, especializada em sistemas e soluções para o mercado educacional, anunciam a criação de uma joint-venture  para a fabricação e comercialização exclusiva no Brasil dos modelos humano e canino de treinamento e simulação cirúrgica.

Os protótipos, chamados de Syndaver Human e Syndaver Canine, serão desenvolvidos com textura e densidade similar às estruturas anatômicas reais e irão conter todos os sistemas e órgãos dos corpos humano e canino  (como músculos, ossos, veias e artérias), todos confeccionados com materiais que imitam as propriedades mecânicas, térmicas e físico-químicas do tecido vivo. Os modelos realísticos respiram, sangram e permitem a realização de cirurgias, dissecações, entubações e demais procedimentos médicos e veterinários.
Para Claudio Santana, fundador da Csanmek,  os modelos realísticos são, hoje, a principal alternativa para substituir o uso de corpos humanos e eliminar o sacrifício animal em faculdades. “Todos os anos, milhares de animais são sacrificados no ensino superior, além da enorme burocracia e altos custos com a aquisição de cadáveres humanos. A parceria com a Syndaver Labs coloca o Brasil na dianteira do desenvolvimento de métodos alternativos ao uso de cadáveres em salas de aula e possibilita o desenvolvimento de soluções inovadoras para o mercado educacional brasileiro e mundial”, comenta.
Os modelos humano e canino devem custar entre R$ 200 mil e R$ 700 mil, e poderão ser utilizados em cursos de formação médica e veterinária para treinamento de habilidades. No Brasil, os protótipos serão utilizados junto com a plataforma de simulação cirúrgica e dissecação virtual, desenvolvida pela Csanmek, utilizada atualmente em cerca de 60 instituições de ensino no país.
A plataforma funciona como uma mesa que exibe modelos tridimensionais detalhados e anatomicamente corretos de todos os sistemas do corpo humano.  O equipamento ainda possui uma ferramenta de integração entre hospitais e salas de aula. O sistema oferece aos alunos a possibilidade de estudos de casos clínicos e exames reais de pacientes, pois permite que os professores convertam tomografias e ressonâncias magnéticas em 3D, com acesso total e irrestrito a anatomia real.

Foto: Divulgação

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista