PUBLICIDADE

mundo

Prevista para setembro, vacina contra o coronav√≠rus da Oxford/AstraZeneca 

O grupo far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠co brit√Ęni¬≠co AstraZeneca afir¬≠mou que espera para setem¬≠bro os resul¬≠ta¬≠dos sobre a efic√°¬≠cia da vaci¬≠na con¬≠tra o coro¬≠n¬≠av√≠rus em que est√° tra¬≠bal¬≠han¬≠do com a Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford.

‚ÄúEm setem¬≠bro deve¬≠mos saber se temos ou n√£o uma vaci¬≠na efi¬≠caz‚ÄĚ, disse √† BBC o dire¬≠tor exec¬≠u¬≠ti¬≠vo da empre¬≠sa, Pas¬≠cal Sori¬≠ot.

A Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford, cujo pro¬≠je¬≠to √© finan¬≠cia¬≠do pelo gov¬≠er¬≠no brit√Ęni¬≠co, se asso¬≠ciou ao grupo far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠co para fab¬≠ricar e dis¬≠tribuir em todo o mun¬≠do a vaci¬≠na que est√° desen¬≠vol¬≠ven¬≠do.

Os ensaios cl√≠ni¬≠cos com humanos come√ßaram no final de abril no Reino Unido e devem ser real¬≠iza¬≠dos este m√™s no Brasil, que √© ago¬≠ra ‚Äúo epi¬≠cen¬≠tro da epi¬≠demia‚ÄĚ, afir¬≠mou Sori¬≠ot.

Para gan­har tem­po, foi deci­di­do não esper­ar pelos resul­ta­dos antes de começar a pro­dução.

‚ÄúEsta¬≠mos come√ßan¬≠do a pro¬≠duzir esta vaci¬≠na ago¬≠ra, tem que estar pronta para quan¬≠do tiver¬≠mos os resul¬≠ta¬≠dos‚ÄĚ, desta¬≠cou Sori¬≠ot.

Essa estrat√©¬≠gia rep¬≠re¬≠sen¬≠ta um ‚Äúrisco finan¬≠ceiro‚ÄĚ, mas ‚Äú√© a √ļni¬≠ca maneira de ter uma vaci¬≠na dispon√≠v¬≠el‚ÄĚ rap¬≠i¬≠da¬≠mente enquan¬≠to se con¬≠fir¬≠ma sua efic√°¬≠cia, acres¬≠cen¬≠tou.

AstraZeneca assi¬≠nou acor¬≠dos para esta¬≠b¬≠ele¬≠cer redes de dis¬≠tribui√ß√£o para¬≠le¬≠las, entre elas uma com o Insti¬≠tu¬≠to Serum da √ćndia para a entre¬≠ga de um bil¬≠h√£o de dos¬≠es aos pa√≠s¬≠es de baixa e m√©dia ren¬≠da, a fim de dobrar a capaci¬≠dade de pro¬≠du√ß√£o para dois bil¬≠h√Ķes de dos¬≠es.

Na quin¬≠ta-feira, o grupo anun¬≠ciou um acor¬≠do de US$ 750 mil¬≠h√Ķes com duas orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√Ķes inter¬≠na¬≠cionais espe¬≠cial¬≠izadas, CEPI e GAVI, para a fab¬≠ri¬≠ca√ß√£o e dis¬≠tribui√ß√£o de 300 mil¬≠h√Ķes de dos¬≠es, com entre¬≠ga a par¬≠tir do final do ano.

Um total de dez pro­je­tos de vaci­nas con­tra a COVID-19 estão na fase de ensaios clíni­cos em todo o mun­do.

spe-acc/­mar/aa Por: AFP

PUBLICIDADE