PUBLICIDADE

política

Polícia Federal cumpre desdobramento da Lava-Jato em dois estados e no DF

© Polí­cia Federal/Reprodução

Pol√≠¬≠cia Fed¬≠er¬≠al defla¬≠grou nes¬≠ta quin¬≠ta-feira (9/1) a Oper¬≠a√ß√£o Fora do Caixa, des¬≠do¬≠bra¬≠men¬≠to da Oper¬≠a√ß√£o Lava-Jato, com o obje¬≠ti¬≠vo de cumprir seis man¬≠da¬≠dos de bus¬≠ca e apreen¬≠s√£o e dois man¬≠da¬≠dos de pris√£o tem¬≠por√°ria em Bel√©m (PA), Pal¬≠mas (TO) e Bras√≠lia (DF). Ao todo s√£o tr√™s man¬≠da¬≠dos bus¬≠cas e apreen¬≠s√Ķes e uma pris√£o tem¬≠por√°ria no Par√°; uma pris√£o tem¬≠por√°ria e uma bus¬≠ca e apreen¬≠s√£o em Tocan¬≠tins; e duas bus¬≠cas e apreen¬≠s√Ķes no Dis¬≠tri¬≠to Fed¬≠er¬≠al.

Segun¬≠do a Pol√≠¬≠cia Fed¬≠er¬≠al, a inves¬≠ti¬≠ga√ß√£o teve in√≠¬≠cio a par¬≠tir da colab¬≠o¬≠ra√ß√£o pre¬≠mi¬≠a¬≠da fei¬≠ta por exec¬≠u¬≠tivos da empre¬≠sa Ode¬≠brecht, que relataram o paga¬≠men¬≠to de R$ 1,5 mil¬≠h√£o, por meio de Caixa 2, para can¬≠dida¬≠to ao Gov¬≠er¬≠no do Esta¬≠do do Par√°, nas elei√ß√Ķes de 2014.

Em depoi¬≠men¬≠to, os exec¬≠u¬≠tivos con¬≠fes¬≠saram que foram real¬≠izadas tr√™s entre¬≠gas, nos val¬≠ores de R$ 500 mil reais cada, nos meses de setem¬≠bro e out¬≠ubro de 2014, sendo que o rece¬≠bi¬≠men¬≠to foi inter¬≠me¬≠di¬≠a¬≠do por um ex-Senador da Rep√ļbli¬≠ca vin¬≠cu¬≠la¬≠do ao ent√£o can¬≠dida¬≠to ao gov¬≠er¬≠no Esta¬≠do do Par√°.

A PF encon¬≠trou ind√≠¬≠cios de que pelo menos um dos paga¬≠men¬≠tos foi real¬≠iza¬≠do em endere√ßo lig¬≠a¬≠do a par¬≠entes de um ex-Senador da Rep√ļbli¬≠ca. O nome do pol√≠ti¬≠co ain¬≠da n√£o foi divul¬≠ga¬≠do. Os crimes sob inves¬≠ti¬≠ga√ß√£o s√£o de fal¬≠si¬≠dade ide¬≠ol√≥g¬≠i¬≠ca eleitoral (Caixa 2), for¬≠ma√ß√£o de quadrilha e lavagem de din¬≠heiro.

A inves­ti­gação ini­ciou per­ante o Supre­mo Tri­bunal Fed­er­al, entre­tan­to hou­ve declínio de com­petên­cia para Justiça Eleitoral em Belém/PA, a par­tir da con­fir­mação do entendi­men­to sobre a com­petên­cia da Justiça Eleitoral para proces­sar e jul­gar crimes comuns em conexão com crimes eleitorais. Os man­da­dos foram expe­di­dos pela 1ª Vara da Justiça Eleitoral em Belém (PA).

Por: Cor­reiro Braziliense

PUBLICIDADE