PUBLICIDADE

mundo

Países que relaxaram na quarentena voltam a registrar aumento de casos do novo coronavírus

Os casos de coro¬≠n¬≠av√≠rus voltam a crescem no mun¬≠do e indicam que a Covid-19 reto¬≠mou a cir¬≠cu¬≠la√ß√£o em todas as regi√Ķes do plan¬≠e¬≠ta, inclu¬≠sive nos pa√≠s¬≠es que j√° pas¬≠saram pelo pico de con¬≠t√°¬≠gios da doen√ßa. Nos Esta¬≠dos unidos, no Brasil e na √ćndia, os tr√™s mais atingi¬≠dos, o n√ļmero de con¬≠t¬≠a¬≠m¬≠i¬≠na√ß√Ķes segue em alta. Mas o fen√ī¬≠meno tam¬≠b√©m ocorre em Aus¬≠tr√°lia, o Jap√£o, Hong Kong e a Fran√ßa, entre out¬≠ros.

Essa expan¬≠s√£o da Covid-19 atinge pa√≠s¬≠es que j√° pas¬≠saram por medi¬≠das de iso¬≠la¬≠men¬≠to e flex¬≠i¬≠bi¬≠lizaram a quar¬≠ente¬≠na nos √ļlti¬≠mos dois meses. A Cor¬≠eia do Sul, que em fevereiro era o segun¬≠do pa√≠s mais afe¬≠ta¬≠do pela epi¬≠demia, atr√°s da Chi¬≠na, anun¬≠ciou neste s√°ba¬≠do (25) ter tido o maior aumen¬≠to de reg¬≠istros de coro¬≠n¬≠av√≠rus des¬≠de mar√ßo, com 13 novas infec√ß√Ķes em 24 horas.

√Č a primeira vez, des¬≠de 1¬ļ de abril, que o pa√≠s vol¬≠ta a ter mais de 100 con¬≠t√°¬≠gios em um √ļni¬≠co dia. A Cor¬≠eia do Sul √© um dos exem¬≠p¬≠los mundi¬≠ais em con¬≠t¬≠role da doen√ßa, ao ado¬≠tar uma estrat√©¬≠gia de testagem em mas¬≠sa da pop¬≠u¬≠la√ß√£o e iso¬≠la¬≠men¬≠to dos infec¬≠ta¬≠dos e seus con¬≠tatos.

O gov¬≠er¬≠no afir¬≠ma que a maio¬≠r¬≠ia dos novos casos (86) foram ‚Äúimpor¬≠ta¬≠dos‚ÄĚ por pes¬≠soas que chegaram do exte¬≠ri¬≠or. Todos os via¬≠jantes que desem¬≠bar¬≠cam em ter¬≠rit√≥rio sul-core¬≠ano devem se sub¬≠me¬≠ter a uma quar¬≠ente¬≠na de 14 dias.

Cir¬≠cu¬≠la√ß√£o do v√≠rus ‚Äúem claro aumen¬≠to‚ÄĚ na Fran√ßa

A vol¬≠ta da cir¬≠cu¬≠la√ß√£o entre os pa√≠s¬≠es √© um dos focos de pre¬≠ocu¬≠pa√ß√£o. Na Fran√ßa, as autori¬≠dades san¬≠it√°rias adver¬≠ti¬≠ram que a cir¬≠cu¬≠la√ß√£o viral est√° ‚Äúem claro aumen¬≠to‚ÄĚ, nes¬≠tas f√©rias de ver√£o no hem¬≠is¬≠f√©rio norte. O pa√≠s teve 1.130 novos casos reg¬≠istra¬≠dos de quin¬≠ta (23) para sex¬≠ta-feira (24), n√ļmero com¬≠par√°v¬≠el ao ver¬≠i¬≠fi¬≠ca¬≠do nos √ļlti¬≠mos dias de quar¬≠ente¬≠na, em maio.

O gov¬≠er¬≠no franc√™s tem refor√ßa¬≠do as recomen¬≠da√ß√Ķes de segu¬≠ran√ßa san¬≠it√°ria e ado¬≠tou uma s√©rie de medi¬≠das para con¬≠tro¬≠lar o aumen¬≠to da epi¬≠demia. Os testes de Covid-19 se tornaram obri¬≠gat√≥rios para os via¬≠jantes de 16 pa√≠s¬≠es que desem¬≠bar¬≠carem na Fran√ßa, entre eles, o Brasil.

O primeiro-min¬≠istro, Jean Cas¬≠tex, recomen¬≠dou aos france¬≠ses de n√£o via¬≠jarem para a regi√£o da Catalun¬≠ha, na Espan¬≠ha, onde a alta dos casos de coro¬≠n¬≠av√≠rus lev¬≠ou o gov¬≠er¬≠no a ordenar o fechamen¬≠to de bares e dis¬≠cote¬≠cas, a par¬≠tir des¬≠ta sex¬≠ta-feira. A Norue¬≠ga j√° decid¬≠iu impor restri√ß√Ķes de via¬≠gens √† Espan¬≠ha, um dos des¬≠ti¬≠nos preferi¬≠dos de f√©rias dos europeus. J√° a Ale¬≠man¬≠ha vai pas¬≠sar a ofer¬≠e¬≠cer testes de Covid-19 para todos os res¬≠i¬≠dentes que retornarem ao pa√≠s, depois de uma viagem ao exte¬≠ri¬≠or.

Aos poucos, medi­das de iso­la­men­to retor­nam

No Reino Unido, o uso de m√°s¬≠caras con¬≠tra a Covid-19 ago¬≠ra √© obri¬≠gat√≥rio em lojas e super¬≠me¬≠r¬≠ca¬≠dos ‚Äď por√©m, pisci¬≠nas e acad¬≠e¬≠mias devem reabrir neste s√°ba¬≠do. J√° na B√©l¬≠gi¬≠ca, onde o n√ļmero de casos tam¬≠b√©m vol¬≠ta a subir, a cidade de Antu√©r¬≠pia decid¬≠iu que as reuni√Ķes de mais de 10 pes¬≠soas voltam a ser proibidas. No Jap√£o, o gov¬≠er¬≠no recomen¬≠dou que os 10 mil¬≠h√Ķes de habi¬≠tantes de T√≥quio fiquem em casa des¬≠de quin¬≠ta-feira, in√≠¬≠cio de um feri¬≠ad√£o no pa√≠s.

Nos Esta¬≠dos Unidos, onde o n√ļmero de mor¬≠tos pela doen√ßa ultra¬≠pas¬≠sa 145 mil, mais 70 mil casos foram noti¬≠fi¬≠ca¬≠dos em 24 horas. O pres¬≠i¬≠dente Don¬≠ald Trump, que j√° sus¬≠pendeu os vis¬≠tos para o solo amer¬≠i¬≠cano, ago¬≠ra mira nos estu¬≠dantes estrangeiros, que n√£o poder√£o mais entrar nos Esta¬≠dos Unidos se a insti¬≠tu¬≠i√ß√£o de ensi¬≠no √† qual est√£o vin¬≠cu¬≠la¬≠dos ofer¬≠e¬≠cer aulas pela inter¬≠net.

Enquan¬≠to isso, a rede McDonald‚Äôs de fast foods anun¬≠ciou que pas¬≠sar√° a exi¬≠gir que seus clientes uti¬≠lizem m√°s¬≠caras de pro¬≠te√ß√£o. A Orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o Mundi¬≠al da Sa√ļde declar¬≠ou nes¬≠ta sex¬≠ta-feira que ‚Äún√£o voltare¬≠mos ao nos¬≠so anti¬≠go nor¬≠mal‚ÄĚ, e a ‚Äúpan¬≠demia j√° mudou a nos¬≠sa for¬≠ma de viv¬≠er‚ÄĚ.

Com infor¬≠ma√ß√Ķes Reuters e AFP

PUBLICIDADE