PUBLICIDADE

brasil

OMS suspende testes com hidroxicloroquina contra a Covid-19

A Orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o Mundi¬≠al de Sa√ļde (OMS) sus¬≠pendeu o uso da hidrox¬≠i¬≠cloro¬≠quina em pesquisas que ela coor¬≠de¬≠na¬≠va com cien¬≠tis¬≠tas de 100 pa√≠s¬≠es. A sus¬≠pen¬≠s√£o tem¬≠por√°ria foi toma¬≠da at√© que a segu¬≠ran√ßa da dro¬≠ga seja reavali¬≠a¬≠da, j√° que estu¬≠dos recentes mostraram que ela n√£o √© efi¬≠caz con¬≠tra a Covid-19 e pode aumen¬≠tar a taxa de mor¬≠tal¬≠i¬≠dade.

A OMS diz que est√£o man¬≠ti¬≠dos os demais testes den¬≠tro da ini¬≠cia¬≠ti¬≠va inter¬≠na¬≠cional bati¬≠za¬≠da de ‚ÄúSol¬≠i¬≠dariedade‚ÄĚ. Al√©m do medica¬≠men¬≠to ago¬≠ra veta¬≠do, os pesquisadores ain¬≠da avaliam em pacientes o resul¬≠ta¬≠dos de tr√™s tipos de antivi¬≠rais e de um rem√©¬≠dio usa¬≠do para tratar escle¬≠rose m√ļlti¬≠pla.

De acor¬≠do com a cien¬≠tista-chefe da OMS, Soumya Swami¬≠nathan, a cloro¬≠quina n√£o √© usa¬≠da nos testes da ini¬≠cia¬≠ti¬≠va Sol¬≠i¬≠dariedade. Tan¬≠to a cloro¬≠quina quan¬≠to a hidrox¬≠i¬≠cloro¬≠quina usam o mes¬≠mo princ√≠¬≠pio ati¬≠vo, mas a cloro¬≠quina √© con¬≠sid¬≠er¬≠a¬≠da poten¬≠cial¬≠mente mais t√≥x¬≠i¬≠ca. A hidrox¬≠i¬≠cloro¬≠quina, com¬≠pos¬≠ta por uma ver¬≠s√£o ‚Äúaten¬≠u¬≠a¬≠da‚ÄĚ da sub¬≠st√Ęn¬≠cia, √© con¬≠sid¬≠er¬≠a¬≠da mais segu¬≠ra e √© usa¬≠da em trata¬≠men¬≠tos de lon¬≠go pra¬≠zo.

O dire¬≠tor-ger¬≠al da enti¬≠dade, Tedros Adhanom Ghe¬≠breye¬≠sus, afir¬≠mou que a sus¬≠pen¬≠s√£o foi deter¬≠mi¬≠na¬≠da depois da divul¬≠ga√ß√£o dos resul¬≠ta¬≠dos do estu¬≠do pub¬≠li¬≠ca¬≠do na sex¬≠ta-feira (22) na revista cien¬≠t√≠¬≠fi¬≠ca ‚ÄúThe Lancet‚ÄĚ. A pesquisa, fei¬≠ta com 96 mil pes¬≠soas, apon¬≠tou que n√£o hou¬≠ve efic√°¬≠cia das sub¬≠st√Ęn¬≠cias con¬≠tra a Covid-19 e detec¬≠tou risco de arrit¬≠mia card√≠a¬≠ca nos pacientes que as uti¬≠lizaram.

A OMS j√° havia anun¬≠ci¬≠a¬≠do que era con¬≠tra o uso amp¬≠lo da cloro¬≠quina para tratar a Covid-19. Quan¬≠do o Brasil pas¬≠sou a ori¬≠en¬≠tar que pacientes com quadros leves pudessem usar o medica¬≠men¬≠to, os dire¬≠tores da enti¬≠dade ressaltaram que a dro¬≠ga s√≥ dev¬≠e¬≠ria ser usa¬≠da den¬≠tro de ‚Äúensaios cl√≠ni¬≠cos‚ÄĚ, que s√£o os testes den¬≠tro de pesquisas m√©di¬≠cas.

Ensaios Sol­i­dariedade

Os ensaios Sol­i­dariedade foram anun­ci­a­dos por Tedros em 18 de março. Vários hos­pi­tais, no mun­do inteiro, fazem parte da ini­cia­ti­va. Segun­do a enti­dade, nes­ta segun­da-feira (25) havia 35 país­es recru­tan­do pacientes para estu­dos em mais de 400 hos­pi­tais ao redor do mun­do.

Segun­do a OMS, a ini­cia­ti­va pode diminuir em 80% o tem­po necessário para ensaios clíni­cos, que geral­mente lev­am anos para serem desen­hados e con­duzi­dos.

Cloro­quina e hidrox­i­cloro­quina no Brasil

Mes¬≠mo sem evid√™n¬≠cias cien¬≠t√≠¬≠fi¬≠cas que com¬≠pro¬≠vem a efic√°¬≠cia dos medica¬≠men¬≠tos con¬≠tra a Covid-19, o Min¬≠ist√©rio da Sa√ļde divul¬≠gou, na sem¬≠ana pas¬≠sa¬≠da, um doc¬≠u¬≠men¬≠to com ori¬≠en¬≠ta√ß√Ķes para uso da cloro¬≠quina.

A dro¬≠ga foi moti¬≠vo de dis¬≠c√≥r¬≠dia entre dois ex-min¬≠istros da Sa√ļde e o pres¬≠i¬≠dente Jair Bol¬≠sonaro. Tan¬≠to Luiz Hen¬≠rique Man¬≠det¬≠ta quan¬≠to Nel¬≠son Teich, ambos m√©di¬≠cos, aler¬≠taram para os efeitos colat¬≠erais dos rem√©¬≠dios, mas, mes¬≠mo assim, Bol¬≠sonaro defend¬≠eu o uso deles con¬≠tra a Covid-19.

Fonte: Bem estar/ Foto: Divul­gação

PUBLICIDADE