6.1 // denise prado

O ator viajante

Ser ator já é por si só viajar por vários lugares e personagens, viajar no tempo, viajar por estradas onde as histórias são construídas, seja nos cenários ou mesmo em locações externas, seja no palco, na TV, no cinema, não importa, o ator é um eterno viajante.

Mas e quando essa viagem extrapola a ficção e se torna realidade? Viajar nunca é demais, e para quem gosta o céu nem é o limite, aliás, nada é o limite, pois o que importa é a deliciosa sensação de liberdade que se experimenta ao se permitir aventurar-se.

O Engenheiro Civil e Ator Renato Scarpin, Curitibano de 45 anos, virgem com ascendente em virgem – “Eu sei, sou o demônio… hahahahaha” escolheu São Paulo como seu primeiro destino profissional, começou assim sua linda viagem. Chegou por essas bandas em 1999 e conta: “Eu fui escoteiro a vida toda. No escotismo minha primeira especialidade foi a de artista, adorava representar nas esqueces feitas no fogo de conselho. Na escola – Colégio Marista- optei por teatro entre musica, teatro  artes plásticas. Mas acabei fazendo Engenharia na faculdade. Trabalhei na Alemanha como engenheiro. Quando voltei, desisti de tudo e comecei um curso de teatro. Ali me descobri ator. Segui as duas carreiras por quase dois anos, quando não tinha mais como conciliar, abandonei a engenharia de vez e até hoje vivo das artes cênicas”.  E aqui já deu vida há vários personagens na TV Globo, TV Record, BAND e SBT. “Na Globo após várias participações, apareci  nacionalmente como o padeiro Joaquim de “UM SÓ CORAÇAO“.

Fez mais de 400 filmes publicitários, entre eles o de maior sucesso foi o da Topper – Rugby com vários filmes e ganhador de prêmio no Festival de Cannes:

Pergunto como ele elabora a criação de seus personagens: “Sou um ator estudioso. Pesquiso, faço laboratório quando necessário, mas foco principalmente no texto. O texto te dá todas as dicas para a construção correta da personagem. Quando crio um personagem como para o Sapo, por exemplo, utilizo a comedia para fazer críticas sociais e comportamentais. Escrevo um texto de humor ácido e uma interpretação entre o caricato (mohamed) e a realista (velhinho Nicanor). No trair a  interpretação segue uma linha absolutamente realista. O ritmo da peça impõe uma interpretação mais despojada”.

E como um bom viajante e ator Mais Influente, na vida real, esse apaixonado por moto realizou esse ano um sonho antigo: “Amo HARLEY DAVIDSON.  Meu sonho desde muito tempo. Faz poucos anos que conquistei a primeira Harley. A partir daí, meu sonho era fazer uma viagem longa. Nessa viagem, planejei desde o meio do ano.  O destino Itacaré-BA. Ida pelo interior volta pelo litoral a fim de conhecer a maior quantidade possível de cidades, lugares e paisagens. No fim do ano, fiz todo o roteiro, incluindo as paradas. Calculei uma Km diária para não cansar tanto a Maritta (sua esposa e companheira) e a mim. Por isso, fiz as reservas de todos os hotéis que ficaríamos em toda a viagem.  Foram 15 dias,  5050 km rodados, 5 estados SP, MG, BA, ES, RJ. Visitamos praias e cachoeiras. Vimos paisagens lindíssimas. Eu não vejo a hora de fazer outra viagem assim. Meu sonho agora é ir até o Chile e Argentina de moto”.

Galeria:

Se você quer conhecer mais desse Ator Viajante, vá assistir no Teatro Bibi Ferreira os espetáculos “Trair e Coçar é só Começar” e “Engolindo Sapo”. A Gargalhada é Garantida!

www.teatrobibiferreira.com.br

 

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista