PUBLICIDADE

sa√ļde

Mau hálito? Saiba como higienizar a língua corretamente e se prevenir da halitose

A hal¬≠i¬≠tose √© um prob¬≠le¬≠ma que atinge 70% da pop¬≠u¬≠la√ß√£o e na grande maio¬≠r¬≠ia dos casos tem origem na l√≠n¬≠gua. Poden¬≠do ser cau¬≠sa¬≠da por diver¬≠sos fatores, a causa mais comum √© a higi¬≠en¬≠iza¬≠√ß√£o prec√°ria da l√≠n¬≠gua. ‚ÄúA higiene oral defi¬≠ciente leva √† for¬≠ma√ß√£o de sabur¬≠ra, um mate¬≠r¬≠i¬≠al vis¬≠coso e esbran¬≠qui√ßa¬≠do ou amare¬≠la¬≠do, que adere ao dor¬≠so da l√≠n¬≠gua. A sabur¬≠ra equiv¬≠ale a uma pla¬≠ca bac¬≠te¬≠ri¬≠ana lin¬≠gual, em que os prin¬≠ci¬≠pais micror¬≠gan¬≠is¬≠mos pre¬≠sentes atu¬≠am sobre a desca¬≠ma√ß√£o nat¬≠ur¬≠al da mucosa bucal e sobre pro¬≠te√≠¬≠nas da pr√≥pria sali¬≠va, geran¬≠do com¬≠po¬≠nentes de cheiro desagrad√°v¬≠el‚ÄĚ, expli¬≠ca o Dr. Hugo Lew¬≠goy, cirurgi√£o-den¬≠tista e doutor pela USP.

Por√©m, em muitos casos, o odor desagrad√°v¬≠el pro¬≠duzi¬≠do n√£o √© per¬≠cep¬≠t√≠v¬≠el a seus por¬≠ta¬≠dores ‚Äď e pode tam¬≠b√©m levar a con¬≠se¬≠qu√™n¬≠cias como a inse¬≠gu¬≠ran√ßa ao se aprox¬≠i¬≠mar das pes¬≠soas, a difi¬≠cul¬≠dade em esta¬≠b¬≠ele¬≠cer rela√ß√Ķes amorosas, a resist√™n¬≠cia ao sor¬≠riso e a ansiedade. ‚ÄúMas a hal¬≠i¬≠tose pode ser pre¬≠veni¬≠da atrav√©s da cor¬≠re¬≠ta higiene oral. √Č impor¬≠tante realizar diari¬≠a¬≠mente a higi¬≠en¬≠iza¬≠√ß√£o da l√≠n¬≠gua e a remo√ß√£o da sabur¬≠ra‚ÄĚ, expli¬≠ca o espe¬≠cial¬≠ista.

Segun¬≠do o Dr. Hugo, √© necess√°rio uti¬≠lizar esco¬≠vas e instru¬≠men¬≠tos pr√≥prios para a limpeza da l√≠n¬≠gua. ‚ÄúA esco¬≠va para l√≠n¬≠gua deve ter cer¬≠das um pouco mais firmes que as das esco¬≠vas den¬≠tais. Isto porque na l√≠n¬≠gua exis¬≠tem fis¬≠sur¬≠as e irreg¬≠u¬≠lar¬≠i¬≠dades onde as cer¬≠das devem pen¬≠e¬≠trar de for¬≠ma ade¬≠qua¬≠da para con¬≠seguir desa¬≠lo¬≠jar a sabur¬≠ra lin¬≠gual. A esco¬≠va tam¬≠b√©m deve ter um per¬≠fil baixo, para n√£o provo¬≠car √Ęnsia, e ter uma super¬≠f√≠¬≠cie cir¬≠cu¬≠lar que se adapte √† for¬≠ma da l√≠n¬≠gua sem provo¬≠car descon¬≠for¬≠tos‚ÄĚ, afir¬≠ma.

Al√©m da esco¬≠va espec√≠¬≠fi¬≠ca para l√≠n¬≠gua, √© recomend√°v¬≠el o uso dos chama¬≠dos higi¬≠en¬≠izadores lin¬≠guais pl√°s¬≠ti¬≠cos. Estes removem a sabur¬≠ra lin¬≠gual de for¬≠ma muito mais efi¬≠ciente do que as esco¬≠vas nor¬≠mais, sem machu¬≠car a l√≠n¬≠gua ou sem provo¬≠car √Ęnsia ou n√°use¬≠as. ‚ÄúOs higi¬≠en¬≠izadores lin¬≠guais devem ter um design que se adapte ao for¬≠ma¬≠to da l√≠n¬≠gua pos¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠tan¬≠do a remo√ß√£o da sabur¬≠ra de for¬≠ma sim¬≠ples. Podem ser mais estre¬≠itos ou mais lar¬≠gos, ter l√Ęmi¬≠na dupla ou sim¬≠ples e ter ran¬≠huras ou n√£o. O ras¬≠pador com ran¬≠huras deve ser uti¬≠liza¬≠do prin¬≠ci¬≠pal¬≠mente para a remo√ß√£o da pla¬≠ca mais aderi¬≠da. J√° o ras¬≠pador liso de uma l√Ęmi¬≠na √© o ide¬≠al para manuten√ß√£o di√°ria por ser mais estre¬≠ito e del¬≠i¬≠ca¬≠do‚ÄĚ, expli¬≠ca o cirurgi√£o-den¬≠tista.

 

Foto: Repro­dução

Fonte: Dr. Hugo Lew­goy, cirurgião-den­tista e doutor pela USP

 

PUBLICIDADE