PUBLICIDADE

política

Maia defende que Governo encaminhe projeto sobre a prorrogação do auxílio emergencial

O pres¬≠i¬≠dente da C√Ęmara dos Dep¬≠uta¬≠dos, Rodri¬≠go Maia (DEM-RJ), defend¬≠eu que o gov¬≠er¬≠no encam¬≠in¬≠he ao Con¬≠gres¬≠so uma pro¬≠pos¬≠ta de pror¬≠ro¬≠ga√ß√£o da vig√™n¬≠cia do aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial pago para os tra¬≠bal¬≠hadores infor¬≠mais. A ren¬≠da emer¬≠gen¬≠cial foi aprova¬≠da pelo Con¬≠gres¬≠so e san¬≠ciona¬≠da pelo pres¬≠i¬≠dente Jair Bol¬≠sonaro, em abril, pelo pra¬≠zo de tr√™s meses.

Par¬≠la¬≠mentares querem esten¬≠der o bene¬≠f√≠¬≠cio por mais tem¬≠po. Maia afir¬≠mou que sabe das difi¬≠cul¬≠dades enfrentadas pelo gov¬≠er¬≠no, mas desta¬≠cou que o ide¬≠al √© ter uma posi√ß√£o ofi¬≠cial da equipe econ√īmi¬≠ca para que o debate seja feito de for¬≠ma trans¬≠par¬≠ente no Par¬≠la¬≠men¬≠to, em raz√£o da import√Ęn¬≠cia do pro¬≠gra¬≠ma. Ele reafir¬≠mou a import√Ęn¬≠cia do di√°l¬≠o¬≠go com o Exec¬≠u¬≠ti¬≠vo para que a solu√ß√£o seja encon¬≠tra¬≠da de for¬≠ma cole¬≠ti¬≠va. Maia disse ain¬≠da que o Con¬≠gres¬≠so pode at√© tomar a ini¬≠cia¬≠ti¬≠va de esten¬≠der o bene¬≠f√≠¬≠cio, mas o ide¬≠al √© que o tex¬≠to ini¬≠cial seja encam¬≠in¬≠hado pelo Exec¬≠u¬≠ti¬≠vo.

‚Äú[Defen¬≠do] Que o gov¬≠er¬≠no fa√ßa esse debate de for¬≠ma ofi¬≠cial para que a equipe econ√īmi¬≠ca e todos os t√©c¬≠ni¬≠cos mostrem o taman¬≠ho dessa despe¬≠sa que est√° sendo cri¬≠a¬≠da. N√≥s ain¬≠da enten¬≠demos que ain¬≠da ter¬≠e¬≠mos algum per√≠o¬≠do de que¬≠da da econo¬≠mia nos pr√≥x¬≠i¬≠mos meses‚ÄĚ, afir¬≠mou.

Maia disse que tem con­ver­sa­do com diver­sos par­la­mentares sobre o tema e avalia que talvez sejam necessárias mais duas ou três parce­las no mes­mo val­or atu­al de R$ 600. O gov­er­no avalia esten­der o bene­fí­cio por mais dois meses com duas parce­las de R$ 300.

‚ÄúNingu√©m nega o impacto nem a neces¬≠si¬≠dade, nem o gov¬≠er¬≠no. Ago¬≠ra, se o impacto √© grande, vamos ten¬≠tar cri¬≠ar solu√ß√Ķes no Or√ßa¬≠men¬≠to para ver se tem algum espa√ßo para con¬≠stru¬≠ir uma solu√ß√£o para manuten√ß√£o dos R$ 600 por mais 60 dias, pelo menos‚ÄĚ, desta¬≠cou Maia.

Pro­je­to sobre fake news
Rodri¬≠go Maia infor¬≠mou que at√© a pr√≥x¬≠i¬≠ma sem¬≠ana deve ser con¬≠stru√≠¬≠do um tex¬≠to que com¬≠bate as chamadas fake news (not√≠¬≠cias fal¬≠sas) em con¬≠jun¬≠to com l√≠deres da C√Ęmara e do Sena¬≠do, para garan¬≠tir uma har¬≠mo¬≠nia entre as duas Casas. Ele reafir¬≠mou que o ide¬≠al √© que a pro¬≠pos¬≠ta ten¬≠ha apoio majorit√°rio do Leg¬≠isla¬≠ti¬≠vo para der¬≠rubar um even¬≠tu¬≠al veto ao pro¬≠je¬≠to. Maia ressaltou que a pro¬≠pos¬≠ta que com¬≠bate fake news e respon¬≠s¬≠abi¬≠liza as platafor¬≠mas pela dis¬≠sem¬≠i¬≠na√ß√£o dessas not√≠¬≠cias √© uma deman¬≠da da sociedade.

‚ÄúA sociedade n√£o quer mais fake news, mas quer liber¬≠dade para divul¬≠gar suas infor¬≠ma√ß√Ķes. 90% do Brasil n√£o acei¬≠ta mais ser engana¬≠do por alguns que insis¬≠tem em con¬≠stru¬≠ir uma f√°bri¬≠ca, uma ind√ļs¬≠tria, uma usi¬≠na de fake news para desqual¬≠i¬≠ficar imagem de ter¬≠ceiros‚ÄĚ, afir¬≠mou Rodri¬≠go Maia.

Refor­ma trib­utária
Maia disse que par¬≠la¬≠mentares debatem a pos¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠dade de incluir um √ļlti¬≠mo pro¬≠gra¬≠ma de recu¬≠per¬≠a√ß√£o fis¬≠cal para rene¬≠go¬≠ci¬≠a√ß√£o de d√≠vi¬≠das trib¬≠ut√°rias de empre¬≠sas, o chama¬≠do Refis. Ele desta¬≠cou que o Refis √© um instru¬≠men¬≠to ruim, pois d√° uma sinal¬≠iza¬≠√ß√£o de que as pes¬≠soas podem deixar de pagar impos¬≠tos e que algu¬≠ma solu√ß√£o ser√° dada no futuro. Mas o pres¬≠i¬≠dente da C√Ęmara desta¬≠cou que, com a refor¬≠ma trib¬≠ut√°ria, talvez pos¬≠sa ser inclu√≠¬≠do esse √ļlti¬≠mo Refis em raz√£o dos impactos da crise do coro¬≠n¬≠av√≠rus para as empre¬≠sas.

‚ÄúAlgu¬≠ma solu√ß√£o vai ser necess√°ria ago¬≠ra, e den¬≠tro do debate da refor¬≠ma, podemos dar uma solu√ß√£o para todos que ficaram sem pagar os seus impos¬≠tos e ao mes¬≠mo tem¬≠po aprovar um novo sis¬≠tema trib¬≠ut√°rio. Esse talvez seja o mel¬≠hor momen¬≠to. Fica uma coisa orga¬≠ni¬≠za¬≠da e se faz um √ļlti¬≠mo Refis‚ÄĚ, desta¬≠cou o pres¬≠i¬≠dente.

MP 944
Maia infor¬≠mou que pre¬≠tende colo¬≠car em vota√ß√£o na pr√≥x¬≠i¬≠ma sem¬≠ana a Medi¬≠da Pro¬≠vis√≥ria (MP)  944/20, que cria o Pro¬≠gra¬≠ma Emer¬≠gen¬≠cial de Suporte a Empre¬≠gos. Segun¬≠do ele, ain¬≠da est√° sendo con¬≠stru√≠¬≠da uma reda√ß√£o no tex¬≠to de con¬≠sen¬≠so entre o rela¬≠tor e a equipe econ√īmi¬≠ca do gov¬≠er¬≠no. Para Rodri¬≠go Maia, algu¬≠ma solu√ß√£o vai ser encon¬≠tra¬≠da para garan¬≠tir cap¬≠i¬≠tal de giro para as empre¬≠sas. Ele lem¬≠brou mais uma vez que hos¬≠pi¬≠tais de pequeno e m√©dio porte cor¬≠rem o risco de parar de fun¬≠cionar em ple¬≠na pan¬≠demia por fal¬≠ta de recur¬≠sos.

‚ÄúO gov¬≠er¬≠no tem pre¬≠ocu¬≠pa√ß√£o de ser o garan¬≠ti¬≠dor de 100% do risco, porque acha que ningu√©m vai pagar. Eu acho o con¬≠tr√°rio, a empre¬≠sa que for sal¬≠va vai pagar, n√£o vai quer¬≠er ficar com o nome sujo, e este √© um momen¬≠to difer¬≠ente, a neces¬≠si¬≠dade √© urgente‚ÄĚ, pon¬≠der¬≠ou Maia.

‚ÄúAlgu¬≠ma solu√ß√£o vai ter que se encon¬≠tra¬≠da: ou uma reda√ß√£o que mel¬≠hore o tex¬≠to ou o gov¬≠er¬≠no vai ter que faz¬≠er um aporte a fun¬≠do per¬≠di¬≠do. O ide¬≠al √© garan¬≠tir cap¬≠i¬≠tal de giro urgente para as empre¬≠sas‚ÄĚ, cobrou o pres¬≠i¬≠dente.

Reportagem: Luiz Gus¬≠ta¬≠vo Xavier/ Ag√™n¬≠cia C√Ęmara de Not√≠¬≠cias

PUBLICIDADE