PUBLICIDADE

mundo

Madeleine pode estar morta diz investigador alem√£o 

Ap√≥s anun¬≠ciar a pris√£o de um homem de 43 anos por um pos¬≠s√≠v¬≠el envolvi¬≠men¬≠to no desa¬≠parec¬≠i¬≠men¬≠to de Madeleine McCain, a meni¬≠na brit√Ęni¬≠ca de 3 anos que sum¬≠iu em 2007 durante as f√©rias da fam√≠lia em Por¬≠tu¬≠gal, o inves¬≠ti¬≠gador Chris¬≠t¬≠ian Hoppe infor¬≠mou que acred¬≠i¬≠ta que a cri¬≠an√ßa ‚Äúdeve estar mor¬≠ta‚ÄĚ.

Em diver¬≠sas entre¬≠vis¬≠tas pub¬≠li¬≠cadas pela m√≠dia da Ale¬≠man¬≠ha e do Reino Unido, como as emis¬≠so¬≠ras ‚ÄúZDF‚ÄĚ e ‚ÄúBBC‚ÄĚ, o rep¬≠re¬≠sen¬≠tante do Depar¬≠ta¬≠men¬≠to Fed¬≠er¬≠al da Pol√≠¬≠cia Crim¬≠i¬≠nal alem√£ infor¬≠mou que nen¬≠hu¬≠ma lin¬≠ha de inves¬≠ti¬≠ga√ß√£o est√° exclu√≠¬≠da.

‚ÄúN√£o podemos excluir a pos¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠dade de que ela este¬≠ja mor¬≠ta. Mas, tam¬≠b√©m √© pos¬≠s√≠v¬≠el que o sus¬≠peito, ap√≥s ten¬≠tar um roubo, ten¬≠ha cometi¬≠do um crime sex¬≠u¬≠al‚ÄĚ, disse √† ‚ÄúZDF‚ÄĚ. O procu¬≠rador fed¬≠er¬≠al infor¬≠mou ain¬≠da que est√£o sendo ver¬≠i¬≠fi¬≠ca¬≠dos pos¬≠s√≠veis c√ļm¬≠plices, que poder√£o fornecer infor¬≠ma√ß√Ķes sobre ‚Äúonde est√° o cor¬≠po de Mad¬≠die ou que at√© ten¬≠ham par¬≠tic¬≠i¬≠pa¬≠do do crime‚ÄĚ.

O homem, que não teve o nome rev­e­la­do, está sob custó­dia e, segun­do Hoppe, ele responde por diver­sos crimes, incluin­do abu­sos sex­u­ais con­tra menores. Ago­ra, além dos alemães, o sus­peito é inves­ti­ga­do pelas polí­cias do Reino Unido e de Por­tu­gal.

O alem√£o de 43 anos j√° era um dos sus¬≠peitos do caso em 2013, mas ele n√£o foi pre¬≠so √† √©poca porque as provas eram insu¬≠fi¬≠cientes. Ele viveu no Algarve, em Por¬≠tu¬≠gal, entre os anos de 1995 e 2007 e tem acusa√ß√Ķes de roubo em hot√©is e casas de f√©rias da regi√£o.

Mad­die desa­pare­ceu pouco antes de seu aniver­sário, em 3 de maio de 2007, enquan­to dormia com os irmãos em um resort na Pra­ia da Luz, em Por­tu­gal. No momen­to do rap­to, os pais estavam jan­tan­do em um restau­rante do próprio hotel. Des­de então, a bus­ca inter­na­cional pela meni­na é real­iza­da, mas não há nen­hu­ma infor­mação que se con­fir­mou ver­dadeira sobre o que acon­te­ceu com ela.

- Pais afir¬≠mam que pris√£o √© impor¬≠tante: Os √ļlti¬≠mos desen¬≠volvi¬≠men¬≠tos do caso McCann s√£o ‚Äúpoten¬≠cial¬≠mente muitos sig¬≠ni¬≠fica¬≠tivos‚ÄĚ, disse a advo¬≠ga¬≠da de Kate e Ger¬≠ry McCann, Clarence Mitchell para a ‚ÄúBBC‚ÄĚ.

Segun¬≠do a entre¬≠vista de Mitchell, em 13 anos ‚Äúnun¬≠ca hou¬≠ve uma ocasi√£o na qual a pol√≠¬≠cia foi t√£o pre¬≠cisa sobre uma pes¬≠soa espec√≠¬≠fi¬≠ca‚ÄĚ.

‚ÄúDe todas as mil¬≠hares de pis¬≠tas e sus¬≠peitos em poten¬≠cial que foram mon¬≠i¬≠tora¬≠dos no pas¬≠sa¬≠do, nun¬≠ca hou¬≠ve algo t√£o claro que n√£o ape¬≠nas uma, mas tr√™s for√ßas poli¬≠ci¬≠ais, estivessem de acor¬≠do‚ÄĚ, disse ain¬≠da. (ANSA)

PUBLICIDADE