PUBLICIDADE

mundopolítica

Macri faz balanço do governo a quatro dias de deixar Presidência

Na pr√≥x¬≠i¬≠ma ter√ßa-feira (10), Mauri¬≠cio Macri pas¬≠sar√° o coman¬≠do da Argenti¬≠na a Alber¬≠to Fer¬≠n√°n¬≠dez, novo pres¬≠i¬≠dente do pa√≠s. Na noite de quin¬≠ta-feira (5), em um pro¬≠nun¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to em rede nacional de tele¬≠vis√£o, o pres¬≠i¬≠dente fez um bal¬≠an√ßo de sua admin¬≠is¬≠tra√ß√£o e lamen¬≠tou que os resul¬≠ta¬≠dos das refor¬≠mas econ√īmi¬≠cas n√£o ten¬≠ham chega¬≠do a tem¬≠po.

Mauri¬≠cio Macri, que ten¬≠tou a reelei√ß√£o, perdeu a dis¬≠pu¬≠ta para o per¬≠o¬≠nista Alber¬≠to Fer¬≠n√°n¬≠dez, que tem como vice a ex-pres¬≠i¬≠dente e senado¬≠ra Cristi¬≠na Kirch¬≠n¬≠er. Fer¬≠n√°n¬≠dez venceu as elei√ß√Ķes em primeiro turno, com 48% dos votos, enquan¬≠to Macri obteve 40%.

‚ÄúQueri¬≠dos argenti¬≠nos, pela primeira vez nestes qua¬≠tro anos, usarei a rede nacional para falar com todos. Durante ess¬≠es anos, muitas pes¬≠soas me pedi¬≠ram para faz¬≠er um pro¬≠nun¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to infor¬≠man¬≠do sobre a situ¬≠a√ß√£o do pa√≠s. Eu acho que √© mais con¬≠stru¬≠ti¬≠vo faz√™-lo hoje. √Č hora de bal¬≠an√ßos e con¬≠stru√ß√£o. Acho bom tirar¬≠mos alguns min¬≠u¬≠tos para ver clara¬≠mente onde esta¬≠mos hoje‚ÄĚ, disse o pres¬≠i¬≠dente, ressaltan¬≠do que o pa√≠s vive ago¬≠ra um momen¬≠to muito difer¬≠ente do que vivia em 2015.

Em sua men­sagem, que durou quase 40 min­u­tos, Macri divid­iu o bal­anço em 5 eixos: infraestru­tu­ra e econo­mia; cul­tura de poder e qual­i­dade democráti­ca; desen­volvi­men­to humano; econo­mia; relação com o mun­do; e segu­rança e nar­cotrá­fi­co.

‚ÄúHou¬≠ve muitos aspec¬≠tos que n√£o con¬≠seguimos resolver, mas val¬≠orizamos nos¬≠sas insti¬≠tu¬≠i√ß√Ķes. Nos¬≠sa impren¬≠sa √© mais livre e nos¬≠sa justi√ßa √© mais inde¬≠pen¬≠dente. Esta¬≠mos mais seguros per¬≠ante o nar¬≠cotr√°¬≠fi¬≠co. A pol√≠ti¬≠ca √© mais decente. √Č a primeira vez que um gov¬≠er¬≠no n√£o per¬≠o¬≠nista ter¬≠mi¬≠na seu manda¬≠to. Essa n√£o √© uma con¬≠quista do pres¬≠i¬≠dente, mas de todos os argenti¬≠nos. √Č um avan√ßo de nos¬≠sa democ¬≠ra¬≠cia. Espe¬≠cial¬≠mente em um con¬≠tex¬≠to t√£o del¬≠i¬≠ca¬≠do para a Argenti¬≠na‚ÄĚ, afir¬≠mou.

Cul­tura de poder

Em rela√ß√£o ao que chamou de ‚Äúcul¬≠tura de poder‚ÄĚ, Macri afir¬≠mou que, quan¬≠do assum¬≠iu, h√° qua¬≠tro anos, uma das primeiras coisas que a pop¬≠u¬≠la√ß√£o lhe pediu foi a mudan√ßa no rela¬≠ciona¬≠men¬≠to do gov¬≠er¬≠no com o povo.

‚ÄúMe ale¬≠gra e me orgul¬≠ha que hoje pos¬≠samos ser mais tol¬≠er¬≠antes e mais respeitosos com os que pen¬≠sam difer¬≠ente, que pos¬≠samos ser mel¬≠hores se nos escu¬≠ta¬≠mos e cheg¬≠amos a acor¬≠dos, se tra¬≠bal¬≠hamos jun¬≠tos. Temos que ter orgul¬≠ho de ter trans¬≠for¬≠ma¬≠do uma cul¬≠tura de poder. N√£o h√° lugar para lid¬≠er¬≠an√ßas mes¬≠si√Ęni¬≠cas‚ÄĚ, disse.

Macri afir¬≠mou ain¬≠da que, em seu gov¬≠er¬≠no, n√£o hou¬≠ve guer¬≠ra con¬≠tra o jor¬≠nal¬≠is¬≠mo ou con¬≠tra quem pen¬≠sasse difer¬≠ente. ‚ÄúO uso da pub¬≠li¬≠ci¬≠dade ofi¬≠cial como fer¬≠ra¬≠men¬≠ta para prej¬≠u¬≠dicar a m√≠dia acabou.‚ÄĚ

O man¬≠dat√°rio disse que a par¬≠tir da sem¬≠ana que vem mostrar√° que se pode faz¬≠er oposi√ß√£o de uma maneira difer¬≠ente, ‚Äúsem¬≠pre pen¬≠san¬≠do no que √© mel¬≠hor para os argenti¬≠nos‚ÄĚ.

Em rela√ß√£o √† Justi√ßa, Macri afir¬≠mou que ago¬≠ra fun¬≠ciona mel¬≠hor e com mais rapi¬≠dez do que h√° qua¬≠tro anos e defend¬≠eu que os ju√≠zes gan¬≠haram inde¬≠pend√™n¬≠cia durante o seu manda¬≠to.

‚ÄúN√≥s, argenti¬≠nos, sofre¬≠mos por muitos anos as con¬≠se¬≠qu√™n¬≠cias da cor¬≠rup√ß√£o no Esta¬≠do. Ago¬≠ra √© mais dif√≠¬≠cil roubar o din¬≠heiro dos argenti¬≠nos. Em todos os gov¬≠er¬≠nos haver√° ban¬≠di¬≠dos e ladr√Ķes. Mas o Esta¬≠do tra¬≠bal¬≠ha mel¬≠hor hoje do que em 2015‚ÄĚ, afir¬≠mou.

Econo­mia

O pres­i­dente argenti­no se disse insat­is­feito com os resul­ta­dos de seu manda­to no que se ref­ere à inflação e à pobreza. O país tem para este ano a pre­visão de uma inflação que deve alcançar os 55% e cer­ca de 40% da pop­u­lação vivem na pobreza.

‚ÄúNo meio deste ano, pare¬≠cia que est√°¬≠va¬≠mos fazen¬≠do a cur¬≠va. A econo¬≠mia esta¬≠va come√ßan¬≠do a acor¬≠dar. Mas vier¬≠am os resul¬≠ta¬≠dos das Paso [elei√ß√Ķes prim√°rias, que servem como uma grande pesquisa nacional, para definir os can¬≠didatos habil¬≠i¬≠ta¬≠dos a par¬≠tic¬≠i¬≠parem das elei√ß√Ķes gerais]. O medo do futuro e a fal¬≠ta de um s√≥li¬≠do esque¬≠ma macro¬≠econ√īmi¬≠co nos empurraram para tr√°s.‚ÄĚ

Nas Paso, Alber¬≠to Fer¬≠n√°n¬≠dez rece¬≠beu 47% dos votos, con¬≠tra 32% de Macri. Ap√≥s o resul¬≠ta¬≠do dessa vota√ß√£o, real¬≠iza¬≠da em agos¬≠to, o d√≥lar dis¬≠parou e o risco pa√≠s aumen¬≠tou. Naque¬≠le momen¬≠to, Macri teve que lan√ßar uma s√©rie de medi¬≠das para ten¬≠tar aliviar o bol¬≠so dos argenti¬≠nos, como o con¬≠ge¬≠la¬≠men¬≠to do pre√ßo dos com¬≠bust√≠veis e o paga¬≠men¬≠to de b√īnus salari¬≠ais para os tra¬≠bal¬≠hadores.

‚ÄúH√° um sen¬≠ti¬≠men¬≠to de que o Esta¬≠do n√£o tin¬≠ha d√≠vi¬≠das em 2015. Isso n√£o √© ver¬≠dade. Devia U$ 240 bil¬≠h√Ķes. Ago¬≠ra, deve¬≠mos mais, √© ver¬≠dade, cer¬≠ca de U$ 310 bil¬≠h√Ķes, mas tem uma raz√£o: ness¬≠es anos tive¬≠mos que pedir din¬≠heiro empresta¬≠do [ao Fun¬≠do Mon¬≠et√°rio Inter¬≠na¬≠cional] e dois em cada tr√™s pesos foram usa¬≠dos para pagar os venci¬≠men¬≠tos da d√≠vi¬≠da, e o peso restante serviu para pagar o d√©ficit deix¬≠a¬≠do por gov¬≠er¬≠nos ante¬≠ri¬≠ores. Recebe¬≠mos um d√©ficit fis¬≠cal muito alto. Que¬≠bramos a tend√™n¬≠cia e equi¬≠li¬≠bramos os gas¬≠tos estatais. Facili¬≠ta¬≠mos a vida dos expor¬≠ta¬≠dores. Abri¬≠mos mais de duzen¬≠tos mer¬≠ca¬≠dos em todo o mun¬≠do. Expor¬≠ta¬≠mos mais 10 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares. √Č por isso que digo que esta¬≠mos mel¬≠hor prepara¬≠dos para crescer‚ÄĚ, afir¬≠mou.

Nar­cotrá­fi­co e segu­rança

Em rela√ß√£o √† segu¬≠ran√ßa, Macri afir¬≠mou que essa foi uma das pri¬≠or¬≠i¬≠dades de seu gov¬≠er¬≠no e uma das √°reas em que mais obteve √™xi¬≠to. ‚ÄúQuise¬≠mos que as fam√≠lias argenti¬≠nas voltassem a se sen¬≠tir seguras em seus bair¬≠ros, que o Esta¬≠do recu¬≠perasse a autori¬≠dade sobre as fron¬≠teiras, sobre as zonas tomadas pelo nar¬≠cotr√°¬≠fi¬≠co, e isso n√≥s con¬≠seguimos‚ÄĚ.

O pres¬≠i¬≠dente argenti¬≠no disse ain¬≠da que, quan¬≠do assum¬≠iu, havia no pa√≠s uma sen¬≠sa√ß√£o de der¬≠ro¬≠ta con¬≠tra o nar¬≠cotr√°¬≠fi¬≠co, como se fos¬≠se uma luta per¬≠di¬≠da. ‚ÄúAs For√ßas de Segu¬≠ran√ßa estavam desmo¬≠ti¬≠vadas e sem coor¬≠de¬≠na√ß√£o, e se havia per¬≠di¬≠do a coop¬≠er¬≠a√ß√£o com out¬≠ros pa√≠s¬≠es. Depois de qua¬≠tro anos, deix¬≠am¬≠os as For√ßas Fed¬≠erais orde¬≠nadas e profis¬≠sion¬≠ais, respeitadas pela sociedade, e que respeitam a lei, com o papel claro de servir √† sociedade‚ÄĚ, afir¬≠mou, ressaltan¬≠do que nos √ļlti¬≠mos qua¬≠tro anos os homic√≠¬≠dios tiver¬≠am uma redu√ß√£o de 30%.

Em sua con¬≠clus√£o, Macri disse que o pr√≥x¬≠i¬≠mo pres¬≠i¬≠dente her¬≠dar√° um gov¬≠er¬≠no com infor¬≠ma√ß√Ķes detal¬≠hadas de cada pol√≠ti¬≠ca p√ļbli¬≠ca que impul¬≠sio¬≠nou.

‚ÄúNos pr√≥x¬≠i¬≠mos dias, out¬≠ro pres¬≠i¬≠dente assume e out¬≠ra eta¬≠pa come√ßa. Fa√ßo isso [o pro¬≠nun¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to e a divul¬≠ga√ß√£o de dados estat√≠s¬≠ti¬≠cos] porque sei como a fal¬≠ta de infor¬≠ma√ß√£o difi¬≠cul¬≠ta e eu nun¬≠ca faria nada para difi¬≠cul¬≠tar para o novo gov¬≠er¬≠no. Argenti¬≠nos, vou acom¬≠pan¬≠h√°-los do lado da oposi√ß√£o. Con¬≠tin¬≠uare¬≠mos jun¬≠tos com uma pre¬≠sen√ßa s√≥l¬≠i¬≠da no Con¬≠gres¬≠so.‚ÄĚ

Fonte: Agên­cia Brasil

PUBLICIDADE