PUBLICIDADE

brasil

Governo utilizou 39% dos R$ 404 bilh√Ķes liberados para o combate √† pandemia

O gov¬≠er¬≠no fed¬≠er¬≠al gas¬≠tou 39% dos R$ 404,2 bil¬≠h√Ķes lib¬≠er¬≠a¬≠dos para o com¬≠bate √† pan¬≠demia da Covid-19 por meio de medi¬≠das pro¬≠vis√≥rias. As despe¬≠sas pagas at√© a √ļlti¬≠ma sex¬≠ta-feira (12) somam R$ 156,8 bil¬≠h√Ķes. Os n√ļmeros foram lev¬≠an¬≠ta¬≠dos pela Con¬≠sul¬≠to¬≠ria de Or√ßa¬≠men¬≠to e Fis¬≠cal¬≠iza¬≠√ß√£o Finan¬≠ceira da C√Ęmara dos Dep¬≠uta¬≠dos, que pos¬≠sui uma p√°gi¬≠na com dados sobre exe¬≠cu√ß√£o das despe¬≠sas gov¬≠er¬≠na¬≠men¬≠tais dire¬≠cionadas ao com¬≠bate √† Covid-19.

O maior gas¬≠to autor¬≠iza¬≠do at√© ago¬≠ra √© com aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial de R$ 600 para os tra¬≠bal¬≠hadores infor¬≠mais, desem¬≠pre¬≠ga¬≠dos e fam√≠lias de baixa ren¬≠da. Foram disponi¬≠bi¬≠liza¬≠dos R$ 152,6 bil¬≠h√Ķes para o bene¬≠f√≠¬≠cio por meio de tr√™s medi¬≠das pro¬≠vis√≥rias (937/20, 956/20 e 970/20), dos quais metade dos recur¬≠sos (R$ 77 bil¬≠h√Ķes) foram efe¬≠ti¬≠va¬≠mente pagos at√© ago¬≠ra.

Depois do aux√≠lio emer¬≠gen¬≠cial, a maior despe¬≠sa √© com a lin¬≠ha de cr√©di¬≠to cri¬≠a¬≠da para finan¬≠ciar a fol¬≠ha salar¬≠i¬≠al de peque¬≠nas e m√©dias empre¬≠sas. Dos R$ 34 bil¬≠h√Ķes disponi¬≠bi¬≠liza¬≠dos pela MP 943/20, metade (R$ 17 bil¬≠h√Ķes) foi exe¬≠cu¬≠ta¬≠da. A lin¬≠ha de cr√©di¬≠to foi cri¬≠a¬≠da pela MP 944/20.

A MP 963/20 √© a que apre¬≠sen¬≠ta a menor exe¬≠cu√ß√£o entre as medi¬≠das pro¬≠vis√≥rias. Dos R$ 5 bil¬≠h√Ķes reser¬≠va¬≠dos para o finan¬≠cia¬≠men¬≠to da infraestru¬≠tu¬≠ra tur√≠s¬≠ti¬≠ca nacional, ape¬≠nas 7,6% foram gas¬≠tos (ou R$ 379,1 mil¬≠h√Ķes).

No total, o gov¬≠er¬≠no Bol¬≠sonaro edi¬≠tou 25 MPs de cr√©di¬≠to extra¬≠ordin√°rio para finan¬≠ciar a√ß√Ķes de enfrenta¬≠men¬≠to aos efeitos da pan¬≠demia no Brasil. A primeira √© do in√≠¬≠cio de fevereiro (MP 921/20), ante¬≠ri¬≠or ao primeiro caso de infec√ß√£o por Covid-19 no Pa√≠s, con¬≠fir¬≠ma¬≠do ape¬≠nas do final daque¬≠le m√™s. A medi¬≠da pro¬≠vis√≥ria liber¬≠ou recur¬≠sos para reti¬≠rar brasileiros que estavam em Wuhan, na Chi¬≠na, cidade onde suposta¬≠mente surgiu o novo coro¬≠n¬≠av√≠rus.

Reportagem ‚ÄĒ Janary J√ļnior/Edi√ß√£o ‚ÄĒ Wil¬≠son Silveira/Fonte: Ag√™n¬≠cia C√Ęmara de Not√≠¬≠cias

PUBLICIDADE