celebridades

Atriz Rogéria morre aos 74 anos no Rio de Janeiro

 

A atriz Rogéria morreu aos 74 anos nesta segunda-feira (4), pouco depois de ser internada novamente em um hospital do Rio de Janeiro com novo quadro de infecção urinária. Ela teve uma crise convulsiva e foi vítima de choque séptico, segundo informação de O Globo.

O empresário Alexandro Haddad confirmou a morte de Rogéria, mas preferiu não passar mais detalhes no momento. O biógrafo e amigo Mario Paschoal lamentou. “Ela estava aguardando para fazer uma operação nos rins, mas o quadro se agravou. Ela chegou a ter problemas cardíacos. O empresário dela está cuidando de tudo. Engraçado que na primeira vez que ela foi internada, eu me preocupei muito. Dessa vez, estava mais tranquilo e aconteceu isso. Vai fazer muita falta”, disse.

Rogéria foi internada em julho, com fortes dores nas costas que indicaram infecção urinária. Ela chegou a ficar internada na UTI na ocasião, ficando internada por duas semanas.

Trajetória

Rogéria nasceu Astolfo Barroso Pinto no dia 23 de maio de 1943 em Cantagalo, Rio. Tinha 74 anos. Como dizia, metaforicamente, nunca quis se desfazer do Pinto. “Não sou louca de achar que sou mulher”, mas como artista ela foi – e (quase) perfeita, se não fosse o detalhe.

Dizia que já era gay na barriga da mãe e nunca sofreu discriminação. “Minha mãe sempre aceitou como sou e, quando tentavam me discriminar, eu baixava o Astolfo.” Garoto, já brincava de Cleópatra, liderando as legiões romanas formadas pelos meninos, da família e do bairro. “Não transava com nenhum pra me respeitarem. Se alguém quisesse faltar ao respeito, eu baixava o pau. Batia mesmo.”

Começou a carreira artística como maquiadora da TV Rio e, segundo dizia, a convivência com tantos atores, teve algo semelhante a um estádio no Actors Studio, o famoso centro formador de atores de Nova York. Estreou como artista de palco no dia 29 de maio de 1964, no espetáculo Les Girls, na Galeria Alaska, notório reduto de público homossexual. Dirigido por João Roberto Kelly, foi o primeiro espetáculo nacional de transexuais.

Muito jovem, foi para Paris. “Aquele clima seco transformou meu cabelo, que já usava grande. Virou uma juba. Quando veio a cabeleira, liberei a mulher e virei Rogéria.” Na Espanha, não queriam que participasse de shows porque não era operada. Na França, foi cantar com orquestra. “Cheguei e ninguém me deu bola. Achavam que eu devia ser uma brasileira de m… Pensei comigo: ‘Vou ter de me impor’. Soltei a voz cantando em francês. Me aplaudiram no final.”

No Brasil, participou de shows, filmes, novelas. Foi vedete de Carlos Machado (“As pessoas nem sabem mais quem foi ele”) e, em 1979, venceu o Mambembe (importante prêmio criado pelo Ministério da Cultura e que distinguia as melhores produções do eixo Rio-São Paulo), por O Desembestado, peça com Grande Otelo. Enfrentou a ditadura fazendo espetáculos transgressores numa época de muita censura. Sobreviveu a tudo e a todos. “Dores, só de amores, que foram muitos.”

O público classe A sempre a admirou e respeitou, como artista. Fez o crossover. “Fiquei uns dias em São Paulo para lançar o filme (de Leandra). Botava tênis e ia ao supermercado. Das caixas aos funcionários, às donas de casa e aos senhores na fila, todo mundo queria fazer selfie comigo. O povo me ama. Sou vitoriosa.” Nunca foi de fazer passeata por direitos de gays, mas sabia que sem seu pioneirismo, e das demais divas, o movimento LGBT talvez não tivesse avançado tanto no País.

Nunca se esqueceu do que lhe disse a mãe. “Se você vai ser mulher, que seja de classe. Prostituta, não.” Respondeu a uma pergunta indiscreta do Estado – já que nunca operou, xixi sentada ou de pé? “Depende da disposição. Mas se faço de pé, levanto a tampa. Homem é muito porco, mija tudo. E eu seco. Essa história de última gota não é comigo não.”

No teatro, além de vedete de Carlos Machado, participou, em 1976, da peça Alta Rotatividade, na qual contracenava com comediantes como Agildo Ribeiro (com quem dividiu um talk show durante vários anos) e Ary Fontoura.

Em 2007, Rogéria voltou ao palco como um dos destaques de 7, O Musical, dirigido por Charles Möeller e Claudio Botelho. Ela dividiu a cena com Zezé Motta, Eliana Pittman, Alessandra Maestrini, Ida Gomes, entre outros. Participou ainda, em 2004, ao lado da atriz Camille Ka, da peça Divinas Divas, no Teatro Rival, do Rio. A produção inspirou o documentário dirigido por Leandra Leal.

Todas suas histórias foram narradas no livro Rogéria – Uma Mulher e Mais Um Pouco, biografia lançada em outubro de 2016, pela editora Sextante. Foi escrita por Marcio Paschoal, amigo e vizinha de Rogéria no bairro carioca do Leme.

Famosos lamentam a morte da atriz

Marisa Orth – Rogéria.. Minha amiga. Grande Artista.. é muito, muito boa gente. Vou sentir a sua falta.

Sabrina Sato – Rainha! Precursora do movimento LGBT! Atriz talentosa! Cantora brilhante! Ícone fashion! Defensora dos gays e das mulheres. Artista completa! Inspiradora! Linda Estrela Rogéria, vai brilhar pra sempre nos nossos corações!

Cissa Guimarães – Amiga mais que querida, preciosa, segue no tua Luzzzzzz, que é Eterna! Salve Rogéria! Obrigada por tanta Alegria e aprendizado!

Mateus Solano – Um exemplo de coragem e de autenticidade. O tipo de ser humano que nasceu para empurrar o mundo para frente. Rogéria irá fazer muita falta!

Daniela Mercury – Ela me chamou de corajosa quando anunciei que estava casada com Malu e a chamei de esposa. Queria dizer que corajosa foi você, Rogéria! Tão à frente do mundo! Tão atual sempre. Uma diva! Meus aplausos para você nessa sua partida!!!! 

Ana Furtado – Rogeria, você deixará muita saudade no meu coração. Admiração eterna

Kiko Mascarenhas – Ela venceu o preconceito e conquistou o respeito e a admiração de todos por ser autêntica, inteligente, culta, educada e talentosíssima – Rogéria, mon amour, você partiu hoje mas seu brilho há de permanecer na memória daqueles que tiveram a sorte de te conhecer e nos corações dos muito fãs que te amam. Descanse em paz

Angélica – Mais uma grande Estrela no céu …

Fafá de Belém – Vá em paz, Rainha Rogéria. Que Nossa Senhora te receba. Estaremos sempre aqui te aplaudindo e agradecendo por tudo!

Leandro Hassum – Que DEUS te receba com a mesma alegria que sempre passou para todos. Querida e amada Amiga. 

Amaury Jr – Como assim Rogeria partiu? Difícil acreditar que ficaremos órfãos de sua irreverência, talento e alegria! Algumas das mais tradicionais festas que cobrimos com o programa não terão a mesma graça. Rogéria, nascida Astolfo, foi uma das primeiras transformistas brasileiras, quebrou tabus, lutou, inspirou e fez história. Nunca será esquecida. RIP 

Marco Antonio de Biaggi – Ela costumava dizer : NÃO NASCI EU ESTREEI ! Descanse em paz ROGÉRIA! RIP

Viviane Araújo – Diva! Maravilhosa! Brilhe no céu!

David Brazil – Descanse em paz, obrigado, muito obrigado por ABRIR OS CAMINHOS PARA NÓS!

Murilo Rosa – Uma artista talentosa, premiada e determinada. Uma bela trajetória. Fiquei triste. Que descanse em paz

Bárbara Paz – “A mulher não é o órgão genital, a mulher está dentro de mim. Esse jeito de mulher ninguém me ensinou, nasci assim, …ROGÉRIA

Walcyr Carrasco – Rogéria morreu. Foi uma pioneira. Conseguiu ser famosa num mundo preconceituoso. Eu a conhece pessoalmente e garanto, tinha o brilho da estrela que sempre foi. Viva Rogéria!

Maria de Medicis – Amada Rogeria, o mundo perde muito glamour e alegria com a sua partida!

Mariana Godoy – Essa alegria vai fazer falta. Querida Rogéria, descanse em paz

Angela Leal – Minha Amiga Rogéria a Diva mais Divina! Acaba de partir! Vai querida em paz! A eternidade te aguarda de braços abertos! Triste estou!

Marcelo Medici – Conheço Rogéria desde sempre, pois já era reconhecida muito antes de eu nascer, mas fui conhecê-la pessoalmente há dez anos. tive o prazer de bater altos papos com ela no La Fiorentina… culta, divertida, perspicaz. depois tive a honra de te-la na plateia do meu Cada Um, e a alegria maior de vê-la em cena, no espetáculo Se7e: atriz grandiosa, dama dos palcos, artista até o último fio de cabelo louro. lindo legado. BRAVO!

Cacau Protásio – Eu tive o prazer de conhecer, de conversar e receber um elogio tão maravilhoso que trago pra min até hoje, o céu hoje está em festa, pois está recebendo uma pessoa linda, maravilhosa, inteligente, sensível e pra lá de especial @estrelarogeria descanse em paz! Fará falta aqui entre nós! Seu lugar no céu já está garantido!

Alinne Prado – Depois de um dia tão legal, finalizo com essa notícia tão triste. Só mostra que a vida é trem bala mesmo. Nessa foto eu e @adrianopintoc gravamos uma matéria especial com ela. Conheci Rogéria numa festa do Copa Palace. Ela é irmã do meu querido amigo @flavio_barrozo. Me recebeu na festa dizendo que eu era uma testuda poderosa. E que era para ter orgulho da minha testa. Rs. Coisas de Rogéria. Virou uma entusiasta minha, e eu já era fã dela. A ultima vez que falei com ela eu estava em SP e pedi desculpas por não ter ido ao lançamento do livro (biografia dela que devorei em dois dias). Ficamos quase 40 minutos ao telefone. Ela me dizendo das peripércias da vida dela (algumas q estavam no livro). Eu falando das minhas circunstâncias do momento. E ela me deu uma injeção de ânimo. Rogéria era pós graduada em VIDA. Ela realmente soube viver. E vai deixar uma saudade danada. Obrigada, amada @estrelarogeria. Vou sentir muito sua falta! @flavio_barrozo, toda força do mundo para vc! 

Walério Araújo – Rogéria…sempre presente nos meus grandes momentos…meu desfile…minhas histórias!!!

Leona Cavalli – VIVA minha amiga Rogeria!!!! Para sempre, onde quer que esteja, maravilhosa, estrela eterna!!!! Com ela se vai uma Era. Que seu caminho continue cheio da luz que tanto brilhou nela!!! 

 

 

Foto: Reprodução

Fonte: UOL/CorreioBraziliense

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista