6.3 // henrique narita

Henrique Narita: 2017

Olá amigos, entramos em dezembro e já caminhamos rumo ao final de mais um ano. E, já no espírito de fazer um balanço de 2017, relembro alguns feitos deste ano.
Foi um ano, mais um alias, de muita aprendizagem e algumas coisas marcaram o que pode ser o início de um novo ciclo.
A postura mais exigente da sociedade e menor tolerância contra abusos de mal-uso ou até mesmo roubo de recursos públicos também refletiu no esporte. A prisão de Nuzman, então poderoso presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, pode ser o início de uma melhor gestão no esporte por parte da cartolagem.
O nosso tênis de mesa também sente os reflexos, muito positivos, dessa nossa intolerância a eventuais atitudes que outrora poderiam passar desapercebidos. Lembrem-se que esse ano o presidente da CBTM, Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, teve seu nome envolvido nos jornais a respeito de mal-uso de verbas públicas onde haveria locado apartamento de luxo para uso próprio com verbas não destinadas a esse fim.
O nosso tênis de mesa, por outro lado, temo que não tenha andando para frente como eu gostaria de ver. Mas considero que foi um ano muito bom para nosso esporte. Temos nomes individuais em ascensão como Bruna Takahashi, como o Calderano. E temos um nível técnico médio aqui no Brasil, aumentando a cada ano que passa. Isso é muito bom.
Na parte amadora, temos uma adesão maior, porém ainda longe de ser massificado e aí mora a maior preocupação minha. Jovens crianças não estão aderindo em volume satisfatório. O esporte tem sido ainda pouco praticado nas escolas, mesmo que esteja aumentando ainda está longe demais do ideal. E jovens adultos ainda “largam” o esporte por motivos diversos, ainda considerados (e dou toda a razão) seja por estudos, namoros, agendas etc.
De minha parte, 2017 foi um ano espetacular! Marca o ano em que reduzi minha carga horária destinada a parte atlética profissional e me dediquei mais aos meus projetos de divulgação e massificação do esporte. Tem sido sim muito difícil, mas não desistirei! Mesmo assim colhi ótimos frutos na parte esportiva, como títulos de Copas, Jogos Regionais, Jogos Abertos do Interior e alcei a melhor marca minha em termos de rating de nível nacional, estando atualmente entre os 5 melhores, TOP 5!
Marca também o ano em que consegui através de meus projetos criar uma corrente do bem dentre empresas que engajaram e se identificaram com meus planos e projetos como SOLOS Energia Solar, Blue Tree, L2U Energia, Joola, EBMAT, RS Consultoria Hoteleira, Promoled Eventos e Next Seguro Viagem.
Esse ano tive êxito em divulgar meu método de treino e ensinamento de tênis de mesa em nível Nacional e fica aqui meus agradecimentos as cidades de Registro-SP, Maceio-AL, Aracaju-SE, Capinzal-SC, Teresina-PI, Porto Velho-RO, Rio de janeiro-RJ e vários bairros de São Paulo-SP.
O método HN, como chamo, tem sido bem divulgado e espero que seja útil a todos. Nos locais onde passei acredito que tenha agregado valores a todos.
Enfim, muito se fez, e muito se tem a fazer. Espero estar aqui nesta coluna daqui a um ano e fazermos um balanço melhor no cenário do tênis de mesa.
Um abraço a todos e até a próxima!

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista